ANTONIO CLAUDIO LAGE BUFFARA - APRENDENDO A ESTUDAR: ERROS COMUNS E SUAS POSSÍVEIS SOLUÇÕES

Share:

O acirramento da concorrência no ambiente educacional e profissional torna horas de estudo um imperativo. Como, entretanto, podemos fazer para potencializar a produtividade do nosso aprendizado nesses momentos-chave? Neste texto, confira alguns possíveis equívocos de estudantes, com suas respectivas soluções.

a) Correlação direta entre leitura e aprendizado

Há um senso comum que defende a relação direta e mecânica entre leitura e aprendizado. Podemos dizer que não é assim que ocorre o máximo do aproveitamento na busca de conhecimento. Com efeito, a leitura pode ser prazerosa, inclusive por te livrar da sensação incômoda de procrastinação. Mas, na realidade, durante horas em frente a um livro, apenas uma parcela pequena das informações fica retira no seu córtex – a maior parte é simplesmente esquecida.

Qual a solução? Faça resumos, se são disciplinas de humanas. No caso da matemática, nosso especial interesse aqui, solucione problemas baseados na matéria sob análise. É a prática com o conteúdo a ser assimilado que vai potencializar seu aprendizado.

b) Trabalhar apenas uma banda do cérebro

O pensamento matemático se realiza sobretudo na parte esquerda do cérebro – e ela quem é ativada para efetuar a maior parte das operações lógicas e matemáticas. Treinar somente esta metade, contudo, não fará evoluir o número total de sinapses – que dependem do cérebro operando em conjunto.

Qual a solução? Ouvir música enquanto estuda é uma boa opção, pois agrega o funcionamento conjunto do cérebro como um todo. Mas outras dicas também são possíveis: interessar-se por arte, literatura, cinema, enfim, toda atividade dita artística, que desenvolva sua criatividade.

c) Não estudar o que já aprendeu

Temos a disposição a considerar a matéria como espécie de corrida. Ao ser superado um obstáculo, parece que ele ficou para trás para sempre, não podendo voltar a constituir novos desafios. Isso é simplesmente errado! Se você não voltar a se desafiar com conteúdos considerados “já aprendidos”, as suas habilidades específicas – que podem ter sido, efetivamente, conquistadas no estudo da matéria – atrofiarão e serão gradualmente perdidas.

Qual a solução? Estudar constantemente mesmo os assuntos considerados superados, entendidos. Uma dica é revisar a matéria sempre depois das aulas, ainda que o conteúdo tenha parecido pouco desafiador. Os ganhos são certeiros.

Nenhum comentário