ANTONIO CLAUDIO LAGE BUFFARA - COMO INTERPRETAR ENUNCIADOS DE MATEMÁTICA COMPLEXOS

Share:


Uma das principais dificuldades dos alunos é efetivamente compreender a leitura dos enunciados de questões nas provas de matemática. A consequência óbvia do fato é a impossibilidade de resolução adequada do problema, o que inevitavelmente torna o aproveitamento do conteúdo da disciplina algo difícil de ser alcançado. Dentre as estratégias para melhorar as habilidades na matéria, saber interpretar a linguagem dita complexa da matemática está próximo do topo da lista.

Mas o que dizem os especialistas sobre a referida dificuldade? Em estudos realizados sobre o problema, identificou-se duas fontes de equívocos na hora de traduzir os enunciados explicitados nas avaliações de matemática: a) o desconhecimento de fórmulas e dos jargões da disciplina impede a identificação exata do assunto sobre o qual se debruça a questão; b) os alunos demonstram que existem fatores externos que influenciam o processo de interpretação dos enunciados matemáticos e que estes, por vezes, levam a situações de insucesso na resolução de problemas.

Se o primeiro problema diagnosticado não diz respeito propriamente à linguagem empregada pelo professor, o segundo demonstra que os códigos mobilizados no enunciado das questões podem se prestar a equívocos, sobretudo devido à influência dita externa no processo de interpretação. Nesse caso, destacam-se os falsos cognatos e os sinônimos, utilizados na linguagem própria da disciplina, que não são perfeitamente reconhecíveis por aqueles sem domínio de seus conteúdos.

Mas como resolver a questão, se a solução parece apontar para o reforço no aprendizado da disciplina, o que, em si mesmo, já constitui uma barreira também erguida pela linguagem pouco acessível da mesma? Nesse caso, não há soluções fáceis. Há, isto sim, que reforçar os estudos, sempre que possível, lançando mão de uma linguagem menos sofisticada, e, por que não?, de homônimos mais populares durante as explicações.

Em estudos de programas de pós-graduação de ensino de matemática, cresce a sugestão de uma ferramenta específica, a ser utilizada por alunos de dificuldade. Trata-se do ledor – um professor que ajuda o aluno a interpretar os enunciados das provas, enquanto a avaliação transcorre. Eis um meio de se assegurar que o aluno compreenda o que está sendo solicitado, podendo, assim, ter maior margem de sucesso na resolução das questões.


Nenhum comentário